Jan 03
Como já sabemos todos os anos o valor do salário mínimo sofre um reajuste, que beneficia milhares de brasileiros em todo o Brasil, o atual Presidente da República assinou o decreto que faz o reajuste do salário mínimo 2018 nacional.
A partir de 1º de janeiro de 2018 o salário mínimo passa a valer R$ 954,00, abaixo do valor estimado de R$979,00 de acordo com a projeção e valorização do Salário Mínimo criado no governo LULA. Mesmo tendo sido aprovado este valor na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) o atual presidente reduziu o valor alegando que a inflação recuou no período de 2017. Isso mostra que o atual governo não tem interesse em políticas que valoriza a camada mais pobre da população, que é aquela que vive apenas de um salário mínimo.
Tal medida prejudicou também os trabalhadores gráficos da Baixada Santista que recebem o adicional de insalubridade no valor de 20% do SM que poderiam estar recebendo um pouco a mais a partir deste mês.
Sendo assim o reajuste ficou abaixo do esperado, uma vez que com o antigo salário mínimo os gráficos recebiam R$187,40 e passam a receber a partir deste mês R$190,80, se não houvesse a medida de redução do governo corrupto o valor seria de R$195,80.

escrito por jorge

Dez 21

"Não existem sonhos impossíveis para aqueles que realmente acreditam que o poder realizador reside no interior de cada ser humano. Sempre que alguém descobre esse poder, algo antes considerado impossível se torna realidade."(Albert Einstein)


A Diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Gráficos da Baixada Santista deseja a todos um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de realizações e prosperidades.

A Diretoria

escrito por admin

Dez 21
Encerrando as mobilizações deste ano contra a proposta de reforma da previdência social que o governo Temer quer enfiar a goela abaixo dos trabalhadores, os Sindicatos de Trabalhadores de Santos fizeram uma mobilização na última terça feira(12) na Praça Mauá para alertar a população de modo geral para pressionar os Deputados Federais aqui de nossa região durante o período de recesso parlamentar para que não votem a favor da proposta de mudança que será encaminhada pelo governo no mês de fevereiro para votação na Câmara dos Deputados.
Precisamos fazer pressão, onde os Deputados estiverem, na porta de suas residências, na rua, restaurantes, eventos políticos e até mesmo em seus escritórios políticos, dizendo a eles que se votarem a favor da proposta receberá o troco na próxima eleição, diz Jorge Caetano.

escrito por jorge

Dez 12

Sergio Pardal Freudenthal
São pequenas as possibilidades de aprovação da reforma pretendida pelo governo, mesmo reduzindo consideravelmente o saco de maldades. Porém, o que mais preocupa os trabalhadores que já participam do INSS são as regras de transição. Assim, fazemos uma primeira análise.
As regras de transição seriam válidas para todos que estiverem filiados até a data da promulgação da emenda, podendo optar pelas regras novas, se mais favoráveis. Como a aposentadoria por tempo de contribuição deixa de existir, a transição exige o tempo completo (35 anos para os homens e 30 para as mulheres), um pedágio de 30% sobre o tempo que faltava até aquela data, além da idade mínima que começa em 55 anos para os homens e 53 para as mulheres, recebendo o acréscimo de um ano a cada dois que passam, a partir de 1º de janeiro de 2020.
Para a aposentadoria por idade, inicialmente continua tudo como está, 65 anos para o homem e 60 para a mulher, reduzindo 5 anos para os trabalhadores rurais, tendo o mínimo de 15 anos de contribuição. A partir de 2020 aumentará um ano a cada dois até atingir a nova regra, 62 para as mulheres. A mudança imediata seria no cálculo, 60% da média, acrescentando 1% para cada um dos 10 anos seguintes, 1,5% para os 5 anos imediatos, 2% em cada um dos 5 seguintes e 2,5% para os últimos 5 anos formando um total de 40.
A manutenção do tempo mínimo de contribuições em 15 anos até socorre os trabalhadores que ganham e contribuem sobre um salário mínimo, mas agride bastante os que recebem um pouco mais.

escrito por jorge

Dez 11

Resumo das Condições Econômicas
Trabalhadores Gráficos, dos Setores de Jornais e Revistas do Estado de São Paulo:
Cláusula REPOSIÇÃO SALARIAL
A partir de 1º de Outubro de 2017, os salários dos empregados abrangidos pela Convenção Coletiva de Trabalho serão reajustados conforme as condições abaixo:
§ 1º - Sobre os salários reajustados em 1º de Fevereiro de 2017, aplicar-se-á um reajuste de 1,62% (um vírgula sessenta e dois por cento) a partir de 1º de Outubro de 2017.
§ 2º - Os percentuais de ajustes acima pactuados serão aplicados em todos os níveis salariais.
Será concedido igual aumento aos empregados admitidos após a data base(01 de Outubro de 2016), nas mesmas condições acima, desde que não venham a perceber salários superiores aos dos empregados mais antigos nas mesmas funções.
Cláusula SALÁRIO NORMATIVO (PISO SALARIAL)
A partir de 1º de Outubro de 2017, fica assegurado aos empregados abrangidos pela presente Convenção Coletiva, um Piso Salarial de R$ 1.219,44 (hum mil, duzentos e dezenove reais e quarenta e quatro centavos) mensais.
Cláusula SALÁRIO FUNCIONAL
A partir de 1º de Outubro de 2017, fica assegurado a todo trabalhador gráfico que já se encontra no exercício do mesmo cargo há mais de 12 meses, um Salário Funcional de R$ 1.402,36 (hum mil, quatrocentos e dois reais e trinte e seis centavos) mensais.
Pagamento das diferenças salariais dos meses de Outubro e Novembro de 2017 e 13º Salário
Fica acordado entre as partes que as diferenças salariais dos meses de Outubro e Novembro de 2017 e 13º Salário deverão ser efetuadas na Folha de Pagamento de Dezembro de 2017, a serem quitadas até o dia 05 de Janeiro de 2018;
Cláusula PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS
Foi convencionado o valor de R$ 840,00 (oitocentos e quarenta reais) em duas parcelas iguais de R$ 420,00 (quatrocentos e vinte reais) com o pagamento nos meses de Fevereiro de 2018 e Agosto de 2018.
Cláusula HORAS EXTRAORDINÁRIAS – 60% em dias normais e 100% em finais de semana, feriado e dias já compensados.
O adicional de 100% não será devido quando o trabalho em domingos decorrer de escala de revezamento.
Cláusula ADICIONAL NOTURNO – 25%
Cláusula VALE COMPRA - Será garantido o pagamento do vale compra para o trabalhador que estiver em Auxílio Doença até 90 dias.
Cláusula SEGURO DE VIDA – Mantidos os valores de R$ 34.508,00 reais.
Auxílio Funeral - mantidos os valores de R$ 5.079,00 reais.
A Diretoria

escrito por jorge

Ir para a página Primeira  7 8 9 10 11 12 13 14 15 16  Última