Abr 09
Terceirizado: um trabalhador brasileiro; assista documentário sobre o tema
O Grupo de Pesquisa Trabalho e Capital (GPTC), da Faculdade de Direito da USP, lançou no dia 26 de março o documentário "Terceirizado: um trabalhador brasileiro", que fala sobre a superexploração e os ataques aos direitos dos trabalhadores que ocorrem sob a cobertura da terceirização no país.
O documentário foi coordenado pelo Juiz do Trabalho e professor da USP Jorge Souto Maior.
Assista ao vídeo aqui

Emendas de reajuste aos aposentados predominam na MP da política do mínimo
Encerrou-se no dia 31 de março o prazo para apresentação de emendas à MP da política do salário mínimo. E garantir aumento real para aposentados e pensionistas que ganham acima de um salário mínimo é a principal preocupação de senadores e deputados que apresentaram emendas à medida provisória (MP 672/15), que estende a política de reajuste do salário mínimo, atualmente em vigor, até 2019.
A maior parte das 114 emendas apresentadas à comissão mista que vai examinar o texto pretende estender para aposentadorias e pensões a regra que atualiza o salário mínimo com base na inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior, mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores.
Atualmente quem recebe mais que o salário mínimo tem o benefício corrigido apenas pela variação do INPC.
Autor de duas emendas, o senador Paulo Paim (PT-RS) argumenta que a discrepância entre as correções concedidas aos benefícios equivalentes ao salário mínimo e as concedidas aos benefícios cujos valores superam este patamar conduziu a um "achatamento inaceitável" das rendas dos aposentados e pensionistas.
Prazos regimentais
A comissão mista (de deputados e senadores) que analisará a matéria ainda não foi instalada.
A MP deve chegar à Câmara dos Deputados (plenário) até o dia 21 de abril e ao Senado até o dia 5 de maio. Se não for aprovada até o dia 9 de maio, passará a obstruir a pauta, impedindo outras votações no plenário da Casa onde estiver parada.
O prazo final de tramitação no Congresso Nacional estimado é 23 de maio. Se até esta data não for votada cai por decurso de prazo. Fonte: DIAP
Jorge Caetano Fermino

escrito por jorge

Abr 02
Confira o valor dos salários com o novo desconto do IR

Os trabalhadores que ganham até R$ 1.903,98 estão isentos do pagamento do IR (Imposto de Renda) desde ontem.
A nova tabela com o desconto do imposto foi publicada pelo governo federal, no "Diário Oficial da União".
O alívio no pagamento só será sentido em maio, quando caem nas contas os salários referentes ao mês de abril.
Antes de calcular a alíquota do IR, o patrão aplica o desconto do INSS, que é de 8, 9 ou 11 por cento, dependendo do valor do salário.
Os maiores beneficiados serão os trabalhadores que tenham até R$ 2.000.
Com o reajuste da tabela, esse profissional não pagará Imposto de Renda neste ano. Agora SP

Consulta ao valor da nova aposentadoria começa dia 17
O aposentado ou pensionista do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) conseguirá consultar o valor exato de sua aposentadoria, já com os novos descontos do Imposto de Renda, a partir do dia 17.
Essa é a data em que os extratos começam a ser liberados no site do INSS.
A atualização dos extratos depende do processamento da informação de pagamento, que é feita pela Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informação da Previdência Social).
O ministério garante, porém, que a partir do dia 24, quando começam os pagamentos de benefícios no valor do salário mínimo, todos os demonstrativos estarão liberados.
A nova tabela de descontos do Imposto de Renda, que foi reajustada, passa a valer hoje.
Com o reajuste, os benefícios do INSS passam a ter um limite maior de isenção do Imposto de Renda.
As aposentadorias do INSS acima do salário mínimo, que terão a nova mordida do Leão, serão pagas entre os dias 4 e 8 de maio. Agora SP

Jorge Caetano Fermino

escrito por jorge

Abr 01
Sérgio Souza é relator da não contribuição sindical de não sindicalizados
A PEC 71/95, do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), que altera o dispositivo do inciso IV do artigo 8º da Constituição para vedar a cobrança da contribuição sindical de trabalhadores não sindicalizados tem como relator o deputado Sérgio Souza (PMDB-PR), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da Câmara dos Deputados.
A proposta altera a Constituição para proibir a fixação de qualquer contribuição compulsória dos não filiados à associação, sindicato ou entidade sindical.
Tramitação
Aguarda parecer do relator para discussão e votação no colegiado. Sendo aprovada, o próximo passo será a criação de comissão especial para análise do mérito da proposta.
Leia íntegra da proposta

Governo edita MP que prorroga regra de reajuste do mínimo até 2019
A presidente Dilma Rousseff assinou, nesta terça-feira (24), a medida provisória (MP) que estende a política de reajuste do salário mínimo até 2019. Segundo ela, o envio de uma MP ao Congresso foi resultado do diálogo com senadores e deputados da base aliada. O texto vai ser publicado no Diário Oficial desta quarta-feira (25).
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), defendeu a edição da MP. Ele ressaltou que o texto da medida é idêntico ao do PL 7.469/14, de iniciativa da oposição, apresentado pelo deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP). Segundo Cunha, esse projeto não teria sua tramitação terminada até 1º de maio e, por isso, ele concordou com a edição da MP.
"Eu não cedi a pressão nenhuma", disse Cunha. "O objetivo, quando pautamos [esse projeto], e essa pauta é minha, foi ter uma lei em vigor para o dia 1º de maio. Como não ia atender o objetivo, o governo consultou [sobre a edição da MP] e foi uma decisão conjunta", afirmou.
O novo texto substituiria o projeto de lei aprovado há duas semanas pela Câmara que estende, até 2019, as atuais regras de correção anual do salário mínimo. Na ocasião em que o projeto foi submetido à votação no plenário, o relator da matéria, deputado André Figueiredo (PDT-CE), tentou estender a regra de reajuste do mínimo para os aposentadorias.
A iniciativa gerou divergência na base governista e desagradou o governo em razão do impacto que a medida poderia causar nas contas públicas. Por meio de acordo, os parlamentares decidiram votar apenas a manutenção da norma até 2019 e adiaram a análise da regra para os aposentados.
Aposentados
Para a oposição, no entanto, o governo editou a MP para não dar o reajuste aos aposentados que ganham acima de um salário mínimo.
O líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), reclamou da decisão do presidente da Câmara de retirar de pauta o projeto da oposição (PL 7.469). O texto-base do projeto já foi aprovado pelo Plenário, mas faltava a análise de emendas.
"Hoje, lamentavelmente, o Parlamento brasileiro vê na pessoa do seu presidente a quebra de um compromisso público, sua palavra dada solenemente de que não iria tirar nenhum projeto de pauta que não fosse por requerimento e por apoio da maioria em plenário", disse Bueno.
Ele lembrou que uma das emendas pendentes de votação é a que estende a política de reajuste aos aposentados e pensionistas. "A outra emenda, que é uma emenda nossa, dá um aumento de dois por cento baseado no resultado do PIB de dois anos antes", afirmou o líder do PPS.
Iniciativa do governo
Na cerimônia de assinatura da MP, a presidente Dilma lembrou que, em 2011, outra medida provisória foi enviada ao Legislativo estendendo a política daquela época até 2015, e que, agora, era necessária essa ação por parte do governo.
De acordo com ela, não há atropelo com relação aos parlamentares, porque o governo está fazendo algo que lhe é característico: o "direito de iniciativa em algo que gera despesa".
Dilma agradeceu aos deputados e senadores presentes na cerimônia e também aos representantes de centrais sindicais, a quem atribuiu a construção da política de valorização do salário mínimo. (Com Agência Câmara)
Jorge Caetano Fermino

escrito por jorge

Mar 10
Os trabalhadores gráficos em jornais e revistas do interior paulista e das indústrias gráficas do Grande ABC e da Baixada Santista devem ficar atentos à data para receber a 1ª Parcela da Participação nos Lucros e Resultados.
Ler mais...

escrito por admin

Mar 10
Sindicato solicitou a reintegração do dirigente sindical e o pagamento dos salários e demais direitos enquanto ele permanecer desligado ilegalmente.

A Gráfica Art Copy, mais conhecida por Gráfica do Pedro, localizada em Praia Grande, no litoral paulista, resolveu, de uma só vez, cometer várias irregularidades trabalhistas.
Ler mais...

escrito por admin

Ir para a página Primeira  3 4 5 6 7 8 9 10 11 12  Última