Nov 25




Sindicato dos Gráficos de Santos realizou no dia de hoje (25), data que é comemorada mundialmente a luta pela eliminação da violência contra as mulheres algumas palestras com as trabalhadoras gráficas nas empresas: Avaron, Everest e VALID, onde o objetivo é estar orientando-as sobre os tipos de violências que as mulheres sofrem no dia a dia.
As violências podem ser dentro da própria casa e também no local de trabalho, onde as companheiras sofrem violência Emocional e Psicológicas por parte de chefias e patrões e até mesmo de colegas de trabalho.
Quando falamos em violência, acostumamo-nos a pensar em atos que provocam algum tipo de lesão física. No entanto, o que percebemos é que a violência contra a mulher praticada pelo companheiro (a) pode assumir várias formas, que muitas vezes ficam "mascaradas".
Portanto, Sueli Reis esclarece que no material entregue as companheiras é possível poder identificá-las.: Violência Sexual, Atos Destrutivos e Psicológicos, Violência Física e Violência Emocional e suas consequências. Diz ainda que as mulheres agredidas devem denunciar seus agressores através do Disque 180.
Conheça a Lei Maria da Penha no site www.planalto.gov.br – Lei 11.340.
"Mais que o corpo, a violência machuca a alma, destrói os sonhos e acaba coma dignidades da mulher" (Marilia Gabriela)

escrito por jorge

Nov 25

A violência contra a mulher envolve os atos de violência, que se manifestam por meio das relações assimétricas entre homens e mulheres, envolvendo por vezes discriminação e preconceito.
A violência contra mulher pode assumir diversas formas que não é uma agressão sociopática de natureza sexual e perversa no sentido psicanalítico do termo, até formas mais sutis como assédio sexual, discriminação, desvalorização do trabalho doméstico de cuidados com a prole e maternidade.
Segundo a renomada Casique, juntamente com Furegato, dentre as diferentes formas de violência de gênero citam-se a violência familiar ou violência doméstica e a violência no trabalho, que se manifestam através de agressões físicas, psicológicas e sociais.[1] Na violência intrafamiliar, contra as mulheres e/ou as meninas incluem o maltrato físico, assim como o abuso sexual, psicológico e econômico.
Ainda segundo as referidas autoras para melhor entendimento da condição geradora desse agravo é necessário evidenciar a condição de relação entre gêneros onde ocorre e assim a definem que "a violência de gênero é aquela exercida pelos homens contra as mulheres, em que o gênero do agressor e o da vítima estão intimamente unidos à explicação desta violência. Dessa forma, afeta as mulheres pelo simples fato de serem deste sexo, ou seja, é a violência perpetrada pelos homens mantendo o controle e o domínio sobre as mulheres".[1]


Ler mais...

escrito por jorge

Nov 24
Segunda parcela do 13º do INSS começa a ser paga hoje
A segunda parcela do 13º do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) começa a ser depositada hoje, junto com o benefício mensal do mês de novembro.
Os segurados que recebem um benefício igual ao salário mínimo (R$ 880) e que têm cartão final 1, sem considerar o dígito, recebem a grana hoje. Os depósitos seguem até o dia 7 de dezembro.
Para aqueles que recebem um benefício acima do piso, a grana será paga entre os dias 1º e 7 de dezembro. Fonte: Agora SP

A Aposentadoria Especial tem o tempo reduzido
Sergio Pardal Freudenthal

A Aposentadoria Especial é uma espécie de aposentadoria por tempo de serviço com o tempo reduzido para 25, 20 ou até 15 anos, em razão das condições de trabalho insalubres, periculosas ou penosas. Assim descrevia a Lei Orgânica de Previdência Social (LOPS), apresentando o benefício em 1960.




Ler mais...

escrito por jorge

Nov 24

No Brasil, comemoramos no dia 25 de novembro, o Dia Nacional do Doador de Sangue, uma homenagem a tantas pessoas praticamente anônimas, que salvam vidas diariamente, pelo importante ato de solidariedade de doar sangue.
O Dia do Doador Voluntário de Sangue foi estabelecido através do Decreto de Lei nº 53.988, de 30 de junho de 1964, assinado pelo presidente Castello Branco, definindo o dia 25 de Novembro – data do aniversário da fundação da Associação Brasileira de Doadores Voluntários de Sangue – como a data oficial do doador de sangue no Brasil.
No Brasil existem alguns requisitos para que uma pessoa possa doar sangue. Para realizar esta atividade, é necessário ser maior de 18 anos, ter peso superior à 50kg, não estar grávida, não ter feito tatuagens recentemente, entre outros requisitos.
Jorge salienta que temos na Convenção Coletiva de Trabalho, uma condição mais favorável que o Art. 473 da CLT - O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário: IV - por 1 (um) dia, em cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de doação voluntária de sangue devidamente comprovada; Na Convenção, o trabalhador terá sua falta abonada até duas vezes ao ano, desde que a doação seja realizada no período de seis meses uma da outra.
Doar Sangue é Salvar Vidas. Pratique este gesto!!!

escrito por jorge

Nov 18


Lançado abaixo-assinado contra decisão do STF de suspender a Súmula 277, do TST, sobre validade de acordo coletivo

Força Sindical e CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos) lançaram abaixo-assinado na Comunidade da Avaaz contra a liminar do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendendo os efeitos da Súmula 277, do TST, que garante a validade dos acordos coletivos.
A liminar suspende os efeitos da Súmula 277, do TST, que garante a validade dos acordos e Convenções Coletivas de Trabalho após o término de suas vigências, até que novo acordo seja firmado entre as partes – patrões e empregados.
A Súmula garante que somente mediante negociação coletiva e comum acordo entre as partes, as cláusulas dos acordos e convenções podem ser modificadas.
Pela liminar do ministro Gilmar Mendes, os acordos perdem a validade e precisam ser novamente negociados, mas se o empregador não quiser negociar todas as conquistas trabalhistas se perderão.
A Força Sindical e a CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos) estão entrando com petição (Amicus Curiae) no Supremo Tribunal Federal para que a Corte Suprema assegure a vigência e os efeitos da Súmula 277.
Manifeste sua posição contra a decisão do ministro e em defesa dos direitos trabalhistas assinando o documento eletrônico. Fonte: DIAP
Nem um direito a menos!

Centrais sindicais preparam protesto forte e nacional dia 25 de novembro
As centrais sindicais articulam um forte protesto unitário e nacional, para o dia 25 de novembro. Com esse propósito, CUT, Força Sindical, UGT, Nova Central, CTB, Intersindical, CGTB e CSP-Conlutas se reuniram nesta quarta, 16/11, no Dieese, em São Paulo.
O objetivo principal do "Dia Unificado de Protestos e Paralisações" é enfrentar os ataques a direitos trabalhistas, denunciar as reformas neoliberais do governo Temer e mobilizar os trabalhadores pelo crescimento da economia e mais empregos.
As Centrais vão produzir um boletim de mobilização e também devem publicar manifesto na grande mídia, a fim de convocar para o ato e explicar as razões do protesto.
CTB
Único presidente nacional de Central presente, Adilson Araújo, da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), propõe que o ato do dia 25 tenha forte participação das categorias. "Entendo que devemos parar, pelo menos uma hora, setores importantes e de impacto na economia, além dos transportes públicos".
Para Sérgio Nobre, secretário-geral da CUT, as Centrais devem valorizar a bandeira do emprego, relacionada como um dos eixos principais da manifestação do dia 25.
Os quatro pontos principais são: 1) Combate à reforma da Previdência e em defesa da aposentadoria; 2) Defesa da saúde e educação e combate à PEC 55 - "PEC da Maldade"; 3) Defesa dos direitos e conquistas trabalhistas, reforçando a Pauta Trabalhista Unificada; e 4) Retomada do desenvolvimento com geração de empregos.
Dirigente nacional da Força Sindical e presidente da Federação dos Químicos do Estado de SP (Fequimfar), Sérgio Luiz Leite (Serginho) criticou a desnacionalização da economia brasileira, acelerada por recentes medidas do governo. "Isso gera um forte impacto negativo nos setores químico, petroquímico e em outros segmentos produtivos", ele afirma. Com Agência Sindical.

Jorge Caetano Fermino

escrito por jorge

Ir para a página Primeira  3 4 5 6 7 8 9 10 11 12  Última