Dez 12

Sergio Pardal Freudenthal
São pequenas as possibilidades de aprovação da reforma pretendida pelo governo, mesmo reduzindo consideravelmente o saco de maldades. Porém, o que mais preocupa os trabalhadores que já participam do INSS são as regras de transição. Assim, fazemos uma primeira análise.
As regras de transição seriam válidas para todos que estiverem filiados até a data da promulgação da emenda, podendo optar pelas regras novas, se mais favoráveis. Como a aposentadoria por tempo de contribuição deixa de existir, a transição exige o tempo completo (35 anos para os homens e 30 para as mulheres), um pedágio de 30% sobre o tempo que faltava até aquela data, além da idade mínima que começa em 55 anos para os homens e 53 para as mulheres, recebendo o acréscimo de um ano a cada dois que passam, a partir de 1º de janeiro de 2020.
Para a aposentadoria por idade, inicialmente continua tudo como está, 65 anos para o homem e 60 para a mulher, reduzindo 5 anos para os trabalhadores rurais, tendo o mínimo de 15 anos de contribuição. A partir de 2020 aumentará um ano a cada dois até atingir a nova regra, 62 para as mulheres. A mudança imediata seria no cálculo, 60% da média, acrescentando 1% para cada um dos 10 anos seguintes, 1,5% para os 5 anos imediatos, 2% em cada um dos 5 seguintes e 2,5% para os últimos 5 anos formando um total de 40.
A manutenção do tempo mínimo de contribuições em 15 anos até socorre os trabalhadores que ganham e contribuem sobre um salário mínimo, mas agride bastante os que recebem um pouco mais.

escrito por jorge

Dez 11

Resumo das Condições Econômicas
Trabalhadores Gráficos, dos Setores de Jornais e Revistas do Estado de São Paulo:
Cláusula REPOSIÇÃO SALARIAL
A partir de 1º de Outubro de 2017, os salários dos empregados abrangidos pela Convenção Coletiva de Trabalho serão reajustados conforme as condições abaixo:
§ 1º - Sobre os salários reajustados em 1º de Fevereiro de 2017, aplicar-se-á um reajuste de 1,62% (um vírgula sessenta e dois por cento) a partir de 1º de Outubro de 2017.
§ 2º - Os percentuais de ajustes acima pactuados serão aplicados em todos os níveis salariais.
Será concedido igual aumento aos empregados admitidos após a data base(01 de Outubro de 2016), nas mesmas condições acima, desde que não venham a perceber salários superiores aos dos empregados mais antigos nas mesmas funções.
Cláusula SALÁRIO NORMATIVO (PISO SALARIAL)
A partir de 1º de Outubro de 2017, fica assegurado aos empregados abrangidos pela presente Convenção Coletiva, um Piso Salarial de R$ 1.219,44 (hum mil, duzentos e dezenove reais e quarenta e quatro centavos) mensais.
Cláusula SALÁRIO FUNCIONAL
A partir de 1º de Outubro de 2017, fica assegurado a todo trabalhador gráfico que já se encontra no exercício do mesmo cargo há mais de 12 meses, um Salário Funcional de R$ 1.402,36 (hum mil, quatrocentos e dois reais e trinte e seis centavos) mensais.
Pagamento das diferenças salariais dos meses de Outubro e Novembro de 2017 e 13º Salário
Fica acordado entre as partes que as diferenças salariais dos meses de Outubro e Novembro de 2017 e 13º Salário deverão ser efetuadas na Folha de Pagamento de Dezembro de 2017, a serem quitadas até o dia 05 de Janeiro de 2018;
Cláusula PARTICIPAÇÃO NOS LUCROS E RESULTADOS
Foi convencionado o valor de R$ 840,00 (oitocentos e quarenta reais) em duas parcelas iguais de R$ 420,00 (quatrocentos e vinte reais) com o pagamento nos meses de Fevereiro de 2018 e Agosto de 2018.
Cláusula HORAS EXTRAORDINÁRIAS – 60% em dias normais e 100% em finais de semana, feriado e dias já compensados.
O adicional de 100% não será devido quando o trabalho em domingos decorrer de escala de revezamento.
Cláusula ADICIONAL NOTURNO – 25%
Cláusula VALE COMPRA - Será garantido o pagamento do vale compra para o trabalhador que estiver em Auxílio Doença até 90 dias.
Cláusula SEGURO DE VIDA – Mantidos os valores de R$ 34.508,00 reais.
Auxílio Funeral - mantidos os valores de R$ 5.079,00 reais.
A Diretoria

escrito por jorge

Dez 08



Sergio Pardal Freudenthal
Conforme este advogado muito repetiu em seis artigos publicados na Tribuna Livre, os reformistas não abrem mão da extinção da aposentadoria por tempo de contribuição, antiga aposentadoria por tempo de serviço. Na "emenda aglutinativa" agora apresentada o saco de maldades é um pouco menor, porém mantendo como único benefício voluntário e programável, a aposentadoria por idade, aos 65 anos para os homens e 62 para as mulheres. Talvez estes dois anos a mais para as mulheres representem o "bode na sala", para negociar. Além disso, concentra a violência nos servidores públicos, anunciando o fim dos "privilégios", revoga as regras de transição das reformas anteriores e insiste no impedimento ao recebimento de aposentadoria e pensão por morte do cônjuge.
Para o Regime Geral de Previdência Social, INSS, o tempo mínimo de contribuição foi mantido em 15 anos, mas para os servidores públicos serão exigidos 25 anos de contribuição, sendo no mínimo 10 anos de serviço público. Porém, o cálculo da aposentadoria do INSS inicia em 60% da média contributiva, enquanto para os servidores públicos começa em 70%. Para os segurados do INSS os primeiros 10 anos excedentes valem 1% cada um, chegando aos 70% com 25 anos de contribuição, da mesma forma que os servidores públicos. Daí para a frente, os primeiros 5 anos valem 1,5%, os 5 anos seguintes representam 2% cada um e os últimos 5 anos, para atingir 40, valem 2,5%. Estes cálculos são mais favoráveis aos que contribuem por mais tempo; seria justo se fosse um seguro privado qualquer, mas trata-se do Seguro Social, e será punido exatamente o trabalhador que mais precisa de assistência.

Ler mais...

escrito por jorge

Dez 05

Encerramos a Campanha deste ano mais uma vez de forma positiva, conseguimos alcançar a maioria dos companheiros, procurando conscientizá-los e levar as informações sobre os riscos que os homens estão sujeitos.
Jorge Caetano, presidente do STIG Santos insistiu mais uma vez que os homens precisam quebrar o tabu do preconceito sobre a realização do exame de toque. Temos que cuidar mais de nossa saúde e seguir o exemplo das mulheres, que embora com a vida mais atribulada que a nossa procuram regularmente os médicos para exames preventivos. Sem contar que os exames realizados pelas companheiras são mais constrangedores.
O mês de Outubro foi escolhido para a realização da Campanha, mas isso não impede que os companheiros procurem um médico especialista durante os outros meses do ano. O importante é a prevenção.
Associação Família de Deus
A Campanha desse ano, além de atender a categoria gráfica alcançou também a comunidade, levamos as informações na base comunitária onde vive a classe operária e é isso que o movimento sindical precisa, resgatar o sindicalismo voltado para a base, afinal é onde nossos trabalhadores residem diz Jorge.
Além do câncer de próstata alertamos também os moradores sobre as consequências que a Lei 13467/2017 vai trazer para os trabalhadores em geral.
Conversamos também sobre a mobilização para uma possível greve geral previamente marcada para o próximo dia 5 de novembro em defesa da previdência social que o governo insiste em votar uma reforma que em nosso entendimento é prejudicial aos trabalhadores, como esta sendo a reforma trabalhista.



escrito por jorge

Nov 29
Os trabalhadores gráficos reunidos em Assembleia ontem na sede do Sindicato aprovaram a composição dos candidatos da Chapa Única para conduzir os destinos do Sindicato nos próximos cinco anos.
O atual mandato se encerra no dia 4 de janeiro de 2018 e já no dia seguinte assume a nova Diretoria.
A Companheira Sueli Reis da Silva foi indicada e teve seu nome aprovado para o cargo de Presidente e será a primeira mulher a presidir o Sindicato desde sua fundação em julho de 1931. Sueli terá a responsabilidade juntamente com seus demais pares de administrar o Sindicato e representar a categoria, talvez no pior momento que o movimento sindical terá que atravessar.
Após quatro mandatos consecutivos como Presidente, o Companheiro Jorge Caetano deixa a Presidência do Sindicato no dia 4 de janeiro com a certeza de seu dever cumprido, onde sempre procurou lutar e defender os seus representados, além de administrar a entidade com responsabilidade.
"Tenho certeza que Sueli saberá conduzir de forma firme os destinos do Sindicato e não deixará de continuar lutando em defesa dos gráficos da Baixada Santista, conclui Jorge".

Ler mais...

escrito por jorge

Ir para a página Primeira  2 3 4 5 6 7 8 9 10 11  Última